27 October 2009

Testemunho David Payne – 4 Maio 2007


PROCESSO 201/07.0GALGS - páginas 66 a 68, Volume I AUTO DE INQUIRIÇÃO DE TESTEMUNHA

Data da diligência: 2007/05/04 Hora: 14H45 Local: DIC Portimão

Funcionário que executa: P******* D*****, Inspectora

Nome: David Anthony Payne
Filiação: Diane Payne e Tony Payne
Natural Freguesia: Preston
Concelho: Inglaterra
Nacionalidade: Britânica
Data de nascimento: 1966/04/14
Residência: Leicester
Telefone: 004411*******
Estado Civil: Casado
Profissão: Médico
Local trabalho: Leicester General Hospital
Telefone: 004411********
Passaporte n.********
Emitido em 2005/05/16 pelo Reino Unido

Informado sobre as relações familiares ou equiparadas com o arguido enunciadas no artº 134, nº1 do C.P.P., e da faculdade que lhe pode, por isso, assistir, disse que não se verifica nenhuma dessas relações.
Passa a prestar depoimento.

À matéria dos autos disse:

Que é de sua livre e espontânea vontade que presta declarações no âmbito dos presentes autos.

Que encontra-se a passar férias em Portugal desde o passado dia 28 de Abril de 2007, estando alojado no Ocean Club - Waterside Garden, na Praia da Luz, em Lagos. Que prevê regressar a Inglaterra no próximo dia 5 de Maio de 2007 (Sábado).

Que conhece os pais da MADELEINE há cerca de 5 anos a esta parte.

Que veio passar férias juntamente com a MADELEINE e os seus pais. Que vieram todos em grupo, sendo certo que o mesmo é composto por nove adultos e oito crianças. Os adultos são Diane, o depoente e a sua mulher (filhos: S******* e L****), Russell e Jane (filhos: E*** e E***), Matthew e Rachael (filha: G****), Gerry e Kate (filhos: A****, S*** - gémeos com cerca de dois anos – e MADELENE).

Que decidiram vir para Portugal por sugestão da operadora turística. Que foi o depoente quem tratou da viagem.

Relativamente aos dias que passaram em Portugal, esclarece que estes eram passados de forma muito semelhante. Esclarece que a sua família, composta pela sua sogra DIANE, mulher FIONA e os dois filhos, passaram os dias de forma mais independente relativamente aos restantes membros do grupo. Tiveram um maior contacto com o casal Russel e Jane.

Em relação aos restantes membros do grupo, normalmente encontravam-nos de manhã e iam tomar o pequeno almoço, juntos, ao Restaurante Milénio, após isso deixavam as crianças nos respectivos mini-clubes e os adultos iam praticar desportos dentro do complexo turístico ou então iam para a praia. O casal Gerry e Kate normalmente tomavam o pequeno almoço no apartamento.

Também foi costume, todas as noites, jantarem todos juntos.

Excepto na noite de Sábado - que jantaram todos no Restaurante Milénio, todas as noites, o grupo encontrava-se cerca das 2OH45 no Restaurante "TAPAS" para ali jantar.

Enquanto os adultos jantavam, as crianças ficavam a dormir nos respectivos apartamentos.

Indagado o depoente esclarece que, enquanto decorriam os jantares, nunca se dirigia ao seu apartamento ou aos apartamentos dos restantes elementos do grupo, na medida em que possui um "intercomunicador”, o qual tem alcance entre o seu apartamento e o referido restaurante. Os restantes elementos do grupo, é que, aleatoriamente, e de 20 em 20 minutos dirigiam-se aos apartamentos para verificar se os respectivos filhos estavam a dormir.

No que diz respeito a noite de ontem, esclarece que ele, na companhia da sua mulher e sogra, chegou ao referido restaurante cerca das 20H55. Que quando chegou, e segundo recorda, já estavam no restaurante todos os elementos do grupo, excepto as crianças, as quais já estariam nos respectivos quartos a dormir.

Sabe que, durante o jantar, o Gerry, a Jane e o Matthew, dirigiram-se alternadamente aos quartos para verificar se as crianças estavam a dormir. Julga que terão entrado fisicamente nos quartos. Não lembra a ordem que eles terão ido aos apartamentos.

Cerca das 22H00, a Kate dirigiu-se ao seu apartamento, e passados menos de 5 minutos, regressou ao Restaurante, destroçada e a dizer que a MADELEINE não se encontrava no quarto.

Após isso, todo o grupo dirigiu-se ao apartamento ocupado pela família da MADELEINE, e lembra terem havido comentários acerca do facto de a janela e persiana do quarto ocupado pela MADELEINE estar aberta, não obstante ter estado fechada durante toda a semana.

Que o apartamento ocupado pela família da MADELEINE é composto por dois quartos, uma pequena cozinha, uma sala e um WC. Que a sala tem uma porta de acesso ao exterior, a qual está virada para o referido restaurante. Não lembra mais pormenores do apartamento, mas sabe que o quarto ocupado pelas crianças tem uma janela virada para o estacionamento que dá acesso á estrada principal. Que nunca entrou no referido quarto, mas verificou que o mesmo era composto por duas camas e dois berços. Os berços estavam colocados a meio do quarto. Uma das camas por baixo da janela e a outra cama, ocupada pela MADELEINE, estava na parede em frente a parede que tem a janela.

Perguntado diz não saber quanta vezes a MADELEINE terá saído do complexo turístico, mas sabe que esta terá ido, pelo menos, uma vez à praia.

Que, durante as férias, não verificou nada de anormal entre o casal Gerry e Kate, nem com os filhos destes, nomeadamente com a MADELEINE.

No âmbito do grupo, também nada de anormal sucedeu.

Que durante todas as férias, e nomeadamente no dia e noite de ontem, nada de estranho ou pouco usual ocorreu, no complexo turístico, que tenha merecido a sua atenção ou que possa ser associado aos factos ora em investigação.

Descreve a MADELEINE como sendo uma menina comunicativa, brincalhona, obediente e muito bem comportada.

Os pais da MADELEINE são pessoas muito sociáveis, conhecidos por muitas pessoas, gentis e afectuosos.

A MADELEINE é filha de ambos os elementos do casal. Foi uma filha muito desejada, fruto de uma inseminação "In Vitro". Não há tratamento desigual entre a MADELEINE e os outros dois filhos do casal.

Desconhece se a MADELEINE padece de alguma doença ou toma medicamentação regularmente. Não tem nada mais a revelar com interesse para a presente investigação.

Por não dominar a Língua Portuguesa, o depoente foi acompanhado neste acto pela Senhora A***** F******** M***** que lhe serviu de intérprete.

E mais não disse. Lido o auto, e explicado o seu conteúdo, o achou conforme, ratifica e vai assinar, juntamente com a intérprete.

Para constar se lavrou o presente auto que vai ser assinado.



David Anthony Payne Statement English Translation here


No comments:

Post a Comment