28 October 2009

Testemunho Jane Tanner – 10 Maio 2007


PROCESSO 201/07.0GALGS - páginas 919 a 931, Volume IV
AUTO DE INQUIRIÇÃO DE TESTEMUNHA

Data da diligência: 2007/05/10 Hora: 16H35 Local: DIC Portimão

Entidade que preside: M**** J*** R*****, Inspectora

Funcionário que executa: J*** C*******, Inspector

Nome: Jane Michelle Tanner
Filiação: Marion Vann e Graham Tanner
Natural Freguesia: Inglaterra
Concelho: Inglaterra
Nacionalidade: Inglesa
Data de nascimento: 1971/04/16
Residência: Exeter
Estado Civil: União de Facto
Profissão: Gerente de Marketing

Informado sobre as relações familiares ou equiparadas com o arguido enunciadas no artº 134, nº1 do C.P.P., e da faculdade que lhe pode, por isso, assistir, disse que não se verifica nenhuma dessas relações.
Passa a prestar depoimento.

À matéria dos autos disse:

--------- Por ser uma cidadã inglesa, e não perceber a língua portuguesa nem falada nem escrita, faz-se acompanhar neste acto de uma tradutora, F***** M**** d* C******** S****, com o nº de B.I. nº ********, emitido em **/**/**** pelo S.I.C. de Faro.

--------- Neste acto, confirma na integra as suas anteriores declarações, as quais e por corresponderem a verdade se dão como integralmente reproduzidas para os devidos e legais efeitos.

--------- Há cerca de 10/11 anos que conhece o seu companheiro/marido Russell O'Brien, tendo começado a viver maritalmente com ele, pouco tempo depois.

--------- Há cerca de 4 anos atrás, através do seu companheiro Russell O'Brien, que na altura era colega de Gerald (Gerry) McCann (pai da Madeleine Beth McCann), ficou a conhecer o casal McCann. Uma das razões da aproximação entre os dois casais, para além do conhecimento profissional, pois tanto o Russell O'Brien como o Gerald McCann são médicos, foi o facto de terem as filhas, Madeleine Beth McCann e E*** O'Brien, com aproximadamente a mesma idade. Uma outra razão razão, muito importante, foi o facto da Fiona Payne ser amiga comum dos dois casais (a Fiona Payne trabalhava com a Kate Healy McCann), tendo facilitado o relacionamento.

--------- Quanto aos encontros com o casal McCann, disse já terem ocorrido alguns encontros esporádicos entre o grupo, recordando que a primeira viagem que fizeram juntos foi quando a Fiona e o David Payne se casaram em Itália, em Agosto de 2003. Julga que todas as pessoas do actual grupo se encontraram no casamento, recordando-se do casal McCann com, na altura, apenas uma criança (a desaparecida Madeleine Beth McCann).

--------- Desde que foi mãe (da E*** O'Brien, de quase quatro anos de idade), foi a Itália ao referido casamento, a Alemanha visitar uma amiga (ex-colega do Russel, de nome Betinna Demme – esta foi estagiária no local onde o seu marido trabalhava, em Inglaterra). Também foi à Austrália, em Novembro/Dezembro de 2006, onde esteve seis semanas. Nesta viagem foi apenas com o companheiro e as duas filhas.

--------- Em Maio de 2005, esteve na Grécia, uma semana, com Russel e a filha. Foi esta a primeira vez que viajaram pela Agência ''Markwarner”.

--------- Também tiraram férias em Inglaterra, em Agosto de 2004 (Cornwall) e em Abril de 2006 (Reserva natural em Lonnlleat). Essas férias foram passadas unicamente com o David e a Fiona Payne, e respectivos filhos.

--------- Com o casal McCann começaram a encontrar-se em festas, como por exemplo casamentos e aniversários. Conheceu a mãe da Kate Healy, cujo nome não recorda, no terceiro aniversário da Madeleine Beth McCann, no ano passado, mas não travou conhecimento com qualquer outro elemento da família do casal, sabendo que ambos têm irmãos, mas desconhecendo outros
pormenores.

--------- Foi esta a primeira vez que os quatro casais fizeram férias juntas.

--------- Sabe que, em Setembro do ano de 2005, o casal McCann e o casal Payne fizeram férias juntos em Maiorca, sendo que não os acompanharam porque a depoente estava em avançado estado de gravidez.

--------- A depoente já esteve três vezes em Portugal. A primeira foi há cerca de oito anos atrás e a segunda há cinco anos, ambas com o marido, em Albufeira e ambas em férias. A terceira vez, em Janeiro de 2004, em trabalho, perto de Vilamoura. Veio organizar um evento para a empresa onde
trabalha, "Fisher Sientific" em Leicester.

--------- Auscultada quanto à sua vida privada, disse que nunca teve problemas conjugais com o seu companheiro, dizendo que acredita nele a “100 %” (sic.), a todos os níveis.

--------- Quanto à vida profissional de Gerald McCann, que é cardiologista, e do seu companheiro Russell O'Brien, que exerce a sua actividade/especialidade nas "urgências" disse que o seu marido nunca teve qualquer processo disciplinar ou criminal relacionado com a sua profissão

--------- Sobre o Gerald McCann, acerca deste assunto, não sabe se alguma vez teve algum problema.

--------- A Fiona e o David Payne foram as pessoas que tiveram a ideia de vir de férias para Portugal. Escolheram esta época porque é mais barata, e em que faz menos calor para as crianças. Tiraram apenas uma semana de férias, onde tencionavam regressar a casa/trabalho na passada Sábado/Terça-feira passadas, respectivamente. Na Segunda foi feriado no Reino Unido.

--------- Apanharam o avião directamente de Gatwick para Faro, pelas 08h30m em 28 de Maio de 2007. A Agência que organizou/organiza foi/é a "Markwarner". Chegaram pelas 10h00m ao aeroporto de Faro. Foram para o Complexo Turístico do "Ocean Club", na Praia da Luz - Lagos, num autocarro da "Markwarner". A viagem foi feita com o companheiro e filhas, em conjunto com o casal Matthew Oldfield e Rachael Manpilly, para além da filha.

--------- Quanto ao casal Payne e ao casal McCann viajaram por avião, de East Midlands para Faro, tendo chegado por volta das 11h00m. Fizeram a ligação entre Faro e a Praia da Luz de táxi, tendo chegado pelas 12h00m também do dia 28 de Maio.

--------- Na viagem de avião não conheceram especificamente ninguém, podendo, como é normal, alguém se ter metido com as crianças e feito um qualquer comentário. Antes pelo contrário, recorda-se de um casal que, no avião, mudou de lugar porque as suas filhas estavam a fazer muito barulho, o que é normal porque, como todas as crianças, são muito irrequietas.

--------- A chegada, os quartos já se encontravam previamente atribuídos, tendo, no momento da compra dos pacotes de férias em Inglaterra, solicitado ficarem em apartamentos próximos uns dos outros. A única alteração exigida foi, devido as crianças, os voos em horas diferentes conforme acima mencionados. A denunciante ficou instalada no Bloco 5 - Apartamento 5 D, tendo o casal McCann ficado no mesmo Bloco, com o Apartamento 5 A (esquina do bloco de Apartamentos).

--------- Quanto às férias, no primeiro dia (Sábado, 28 de Abril de 2007) em que jantaram no complexo, fizeram-no no Restaurante "Millenium". Ninguém marcou o jantar no referido Restaurante, tendo todo o grupo, em conjunto com os filhos, ido jantar por volta das 18h00m.

--------- O Restaurante "Millenium" costuma servir o jantar nos outros dias (que não ao Sábado) só a partir das 19h30m e por essa razão decidiram começar a jantar no Restaurante "O Tapas", visto, como já referido, poderem estar próximo dos apartamentos. Isso foi "discutido" à mesa do Restaurante "Millenium" nesta primeira noite.

--------- O jantar ficou a ser efectuado no Restaurante "O Tapas", por ser mais próximo dos apartamentos nos quais ficavam as crianças a dormir.

--------- De início, o jantar era marcado diariamente tendo, depois, ficado agendado, de forma permanente até ao final da estadia, para as 20h30m.

--------- É normal (culturalmente, tradicionalmente, educação/exemplos recebidos) os turistas ingleses deixarem os filhos pequenos, por algum tempo, sozinhos no quarto/apartamento a dormirem, enquanto os pais se ausentam, normalmente garantindo que o fazem por períodos curtos de tempo (15/30 minutos). Nestas alturas existe um controlo esporádico, no tempo, sobre os locais onde as crianças ficam.

--------- Admitiu que nas suas férias na Grécia deixava as suas filhas também sozinhas, no apartamento, sabendo que existiam duas ou três amas no Bloco onde ficavam alojados a cuidarem/certificarem-se de ruídos (gritos, choros ou outros), tendo a incumbência de avisar os pais que entretanto se ausentavam. As referidas férias também foram organizadas pela Agência
"Markwarner".

--------- Por lhe ser perguntado, afira que não tinha conhecimento que os McCann deixavam a porta-janela de correr aberta, suspeitando, no entanto, que o fariam porque viu, variadas vezes, o casal subir as escadas pelas traseiras do apartamento. Nunca entrou no apartamento dos outros casais, limitando-se apenas a ouvir se existia barulho, encostando o ouvido à janela do quarto das crianças, sito na frente do apartamento. Só com os seus filhos é que entrava no apartamento, em todos os outros limitava-se a ouvir às portas para ver se havia ou não o referido barulho. Pensa que todos os outros casais entravam pelas portas frontais do prédio/apartamentos, com excepção do casal McCann. Não tem a certeza de eles terem entrado todas as vezes para o apartamento pela parte de trás.

--------- Questionada, refere que, do que se recorda, viu sempre as persianas do apartamento dos McCann totalmente fechadas, sendo um local onde colocava o seu ouvido para saber se algum deles estava a dormir.

--------- Pessoalmente, em relação as suas filhas, não tem por hábito adoptar, este tipo de postura, ou seja, deixar as mesmas sozinhas, tendo-o apenas feito porque todos os casais deste grupo o faziam. No entanto trancava as portas todas, baixando também a persiana do quarto onde dormem as crianças.

--------- Quanto às medidas de segurança efectuadas pelo grupo de adultos em relação às crianças, quando iam jantar e elas ficavam nos apartamentos, a dormir, a depoente esclarece que, nos primeiros dias, cada casal revezava-se entre si, para controlar os próprios filhos. Com o avançar dos dias, foram pedindo a um dos elementos que se levantava para que ouvisse se havia algum barulho no seu apartamento.

--------- No entanto, a depoente e o seu marido mantiveram um controlo regular aos seus próprios filhos.

--------- Andaram/andam sempre a pé, não tendo qualquer veículo automóvel, próprio ou alugado. As suas deslocações nunca foram para longe mantendo-se o grupo sempre pelo Complexo ou em redor (Praia, Supermercado Baptista). As suas actividades foram na Praia da Luz e organizadas pela ''Markwarner”.

--------- No Complexo Turístico, no Domingo passado (30 de Abril), encontrou um casal conhecido de Exeter, Jim e Charlotte Gorrod, acompanhados pelo filho de 20 meses, B** Gorrod. Ficou a saber que tinham viajado no mesmo dia da depoente, num voo diferente. Perguntada, refere saber que eles tinham um automóvel arrendado, desconhecendo a marca, modelo e cor. Ele (Jim Gorrod) gosta de surfar, por isso tinha alugado o automóvel.

--------- Não desconfia/nunca desconfiou de ninguém que pudesse fazer mal a qualquer uma das crianças, nunca tendo observado qualquer comportamento por parte de clientes, funcionários ou outras pessoas para com o grupo/crianças.

--------- Do grupo, só o David e a Fiona é que conhecem/frequentam a sua casa, sita na supracitada morada em Exeter. Todos os outros amigos do grupo nunca estiveram em sua casa.

--------- Sobre o dia 2 de Maio (quarta-feira), véspera do desaparecimento da Madeleine Beth McCann, segundo recorda pelas 09h00m, a depoente teve uma lição de ténis, conjuntamente com a Kate.

--------- Todos os dias tomavam o pequeno-almoço no Restaurante "Millenium" e só após iam levar as crianças, a pé, aos "Kids Club", sendo que o Russell O'Brien deixava a E*** O'Brien no "Mini Club" e a ora testemunha levava a E*** O'Brien.

--------- Questionada sobre o percurso que o casal McCann fazia com os seus filhos para os "Kids Club" (pois estes tomavam o pequeno-almoço no apartamento), disse desconhecer.

--------- Pelas 10h10m as crianças da sala do "Kids Club", a mesma da sua filha E*** O'Brien (a mesma da Madeleine Beth McCann), num total de seis crianças incluindo as duas, tiveram também uma lição de ténis. As responsáveis, naquele momento, pelas crianças eram a Cat e a Georgina
(professora de ténis). A Kate esteve, juntamente com a ora inquirida, a ver a lição das respectivas filhas. A testemunha saiu antes da aula acabar, não recordando se a Kate McCann também saiu nessa altura ou posteriormente.

--------- Foi para a praia, onde já se encontrava a Fiona e o David Payne. A depoente e outros elementos do seu grupo, travaram conhecimento, no decurso das suas aulas de ténis, com uma senhora, de nome Ornya, tendo o marido da depoente, Russel O'Brian, conhecido também o marido desta senhora, de nome Rob, nas aulas de windsurf. O casal Rob e Ornya estavam também hospedados no Complexo. Nessa manhã, depois de ter assistido a aula de ténis da filha, a depoente foi até à praia, encontrando por lá o Rob. Segundo sabe, o casal Rob e Omya tem dois filhos (uma rapariga com três anos e um filho mais novo, desconhecendo se era rapaz ou rapariga). Segundo julga eram naturais de Londres. Eram pessoas "normais" (sic.).

--------- Enquanto foi velejar, o seu marido ficou em casa, com a filha E*** O'Brien, que se encontrava adoentada e indisposta. Questionada, refere que é normal este tipo de comportamento por parte dos britânicos, ou seja, não é necessário sacrificar ambos os elementos do casal quando os filhos se encontram doentes. Assim, o procedimento normal nestas situações é dividirem o tempo e as tarefas entre os dois.

--------- Recorda que depois do passeio de barco foi ter com o marido e as filhas, tendo todos ido almoçar ao apartamento da Fiona e do David Payne. Não tem a certeza mas acha que o casal Matthew Oldfield e Rachael Manpilly também almoçaram com eles no apartamento. Desconhece onde almoçaram os McCann.

--------- Depois do almoço, após terem levado a E*** O'Brien para o "Kids Club", o Russel O'Brian foi para a praia ter uma aula de canoagem, enquanto a ora testemunha ficou a descansar no quarto com a E*** O'Brien. Após a sua filha ter acordado foi passear com ela junto a piscina e na zona lúdica para as crianças (“escorregas").

--------- Não recorda, mas como o Gerald McCann costumava ter, todos os dias, aulas de ténis à tarde, julga que ele deveria estar no court. Quanto à Kate não sabe se a viu durante a tarde.

--------- Como era normal, pelas 17h00m, encontraram-se no chá das crianças com a Kate, altura em que iam buscar as filhas. Com a Kate e com o Gerry deslocou-se para a zona dos campos de ténis onde os adultos e crianças do grupo, jogavam e brincavam, respectivamente, uns com os outros. Até às 19h00m estiveram nos courts. Nessa altura, os homens do grupo (embora não dê a certeza do Gerry estar) ficaram mais um bocado a jogar ténis, tendo as mulheres se deslocado para os respectivos apartamentos para as adormecer. Passado 20/30 minutos chegaram os homens.

Prepararam-se para o jantar. Pelas 20h35m, como a E*** não queria dormir, o Russel foi para o Restaurante sozinho. Por volta das 20h45m, a E*** deixou-se dormir, tendo a ora depoente saído também para o Restaurante. Quando chegou já estavam todos, excepto a Rachael Manpilly, que se sentia mal disposta e ficou no apartamento. O marido dela, Matthew Oldfield, estava no Restaurante. Não recorda se o David e Fiona Payne já lá estavam. É normal serem sempre os últimos a chegar, pois atrasam-se sempre.

--------- Sobre o jantar, refere que nada de anormal aconteceu em relação a vigilância dos quartos, tendo a mesma sido feita alternadamente, como de costume.

--------- Questionada sobre um episódio onde se relatou que um dos gémeos, S*** McCann e a Madeleine Beth McCann (ambos filhos do Gerald McCann e Kate Healy), haviam chorado nessa noite (anterior aos acontecimentos) disse ter tido conhecimento dessa situação, mas apenas no
início do jantar do dia 3 de Maio, quando a Kate Healy comentou à mesa que a Madeleine Beth McCann teria, nessa manhã, perguntado a razão porque é que os pais não foram ao quarto quando ela e o seu irmão choraram (na noite anterior). Perguntada, refere que nenhum dos adultos se apercebeu dessa situação na noite em que, supostamente, aconteceu.

--------- Na quarta-feira (2 de Maio), após o jantar que correu normalmente, como nos dias anteriores, ficaram até mais tarde a beber um copo no bar, regressando aos seus apartamentos perto da meia-noite.

------- -- Quanto ao dia 3 de Maio, relatou exactamente da mesma maneira todas as actividades/rotinas/horas desse dia, conforme as havia descrito no seu Auto de Inquirição anterior. As horas/espaço temporal foram exaustivamente confirmadas.

--------- Solicitada a esclarecer alguns pormenores disse:

--------- Confirmar que a primeira vez que foi à praia com as crianças foi no dia 3 de Maio no período da manhã. Apenas no dia 3 de Maio (quinta-feira) à tarde o grupo se encontrou, quase todo, na Praia da Luz, exceptuando o casal McCann, porque estes tinham uma aula particular de ténis, em conjunto.

--------- Por volta das 17h15m viu a Kate Healy passar na praia a fazer "jogging", tendo acenado.

--------- O seu marido Russell O'Brien, o Matthew Oldfield e o David Payne saíram da praia um pouco mais cedo para irem para o court de ténis, era a noite dos homens no ténis. Quando a ora testemunha, juntamente com as amigas e filhos, regressaram da praia, pelas 18h20m, passaram pelo campo de ténis tendo reparado que todos os homens, incluindo o Gerald McCann, estavam no court. Ficaram a falar com eles cerca de 20/30m. O Gerald McCann comportou-se da forma habitual.

--------- Julga que a Kate Healy estava no apartamento a adormecer as crianças.

--------- Por volta das 19h00m cada uma foi para o seu apartamento com as crianças. A depoente deu banho às suas filhas, leu-lhes uma história coloco-as a dormir. A E***, como estava doente e com dificuldade em dormir ficou com o pai, que entretanto chegara ( na noite anterior a depoente ficara até mais tarde no quarto, porque a sua filha demonstrava alguma dificuldade em adormecer; naquela noite foi a vez do seu marido). A depoente saiu do apartamento e dirigiu-se ao Restaurante "O Tapas”, para jantar, por volta das 20h30m.

--------- Quando chegou ao Restaurante já se encontravam alguns os adultos do grupo, nomeadamente o casal McCann, sem as crianças. Estas estavam supostamente a dormir.

--------- Por volta das 21h00m o seu marido chegou ao Restaurante, tendo, entretanto, adormecido a E***.

--------- Como habitualmente, o casal Payne e mãe, estavam atrasados. Poucos minutos das 21h00, o Matthew Oldfield saiu do restaurante e dirigiu-se a zona dos apartamentos, dizendo que ia apressar o casal que estava já bastante atrasado. Referiu, o Matthew Oldfield que, pelo caminho, aproveitava e dava uma olhada pelos quartos das crianças. A depoente refere que o Matthew Oldfield cruzou-se com o casal Payne e a Diane Webster pelo caminho, mas, aproveitando o facto de estar já levantado e na rua, fez o circuito de escuta as casas, nada tendo detectado de anormal.

--------- Pediram o jantar, e aguardavam a chegada das entradas, quando, cerca 21h10m, o Gerald McCann saiu do Restaurante, tendo ido ao apartamento para ver os seus filhos. Cinco ou dez minutos depois, saiu a depoente, tendo-se deslocado ao seu apartamento para verificar se estava tudo bem com as suas filhas. Nessa altura reparou no Gerald McCann a falar um cidadão inglês, de nome Jez, que conheceram nestas férias. Jogava ténis com eles. Não sabe se eles a viram, podendo assegurar que, pela sua parte, não entabulou conversação com qualquer um deles.

--------- Passou por eles sabendo que o Gerald McCann já tinha estado no apartamento a ver os filhos.

--------- Não se recorda das posições/sentidos em que o Jez e o Gerry ocupavam, enquanto falavam um com o outro na rua, apenas tendo a percepção que um se encontrava no passeio e outro na estrada junto do mesmo. O Jez estava com um carrinho de bebé, sabendo a depoente que ele tem um filho ainda pequenino.

--------- Instada, esclarece que a razão porque saiu a seguir ao Gerald McCann, apenas 5/10 minutos depois, refere que o faz porque sabia que ele somente ia ao seu apartamento, reiterando que costumava controlar as suas filhas com regularidade.

---------- Questionada sobre que caminho efectuou no trajecto para sua casa, refere que saiu da recepção que dá acesso ao restaurante e subiu o passeio até a esquina, tendo entrado no apartamento pela porta da frente, a qual estava, tal como já afirmara, trancada. O único acesso ao interior da casa é por esta porta, visto que as janelas e a porta envidraçada da sala se encontravam trancadas por dentro, sendo desta forma apenas passíveis de serem abertas, também pelo interior.

--------- Perguntada qual o trajecto que o Gerry McCann para sua casa, quando foi verificar o estado dos filhos, refere que desconhece, mas que tem conhecimento que ele, por vezes, acedia á casa pela porta envidraçada da sala, a qual ficava apenas encostada, mas não trancada. Explica que este era o acesso mais fácil e rápido ao apartamento dos McCann, por terem uma escada até á varanda, a qual estava mesmo junto ao passeio, poupando assim metade do trajecto. Questionada, refere que todos os casais tinham de aceder aos respectivos apartamentos pela porta da frente, excepto os McCann, pois estes eram os únicos que deixavam a porta de vidro destrancada.

--------- Instada a dizer se verificou qual o estado das janelas e persianas do quarto das crianças McCann, quando se dirigiu à sua casa, refere que não, não olhou naquele sentido, podendo as mesmas estarem já abertas, sem que a depoente tivesse reparado.

--------- Após ter ido ver a filha regressou ao restaurante. No regresso, o Gerald McCann já não se encontrava a conversar no local onde o tinha visto.

--------- Quando chegou ao restaurante o Gerald McCann já estava sentado à mesa, acompanhado da sua mulher Kate Healy e de todos os outros.

--------- Entre 15 a 20 minutos depois, o seu marido Russell O'Brien e o Matthew Oldfield saíram, juntos, e foram ver as respectivas crianças. Como a sua filha E*** estava irrequieta e a chorar o Russell O'Brien ficou no quarto.

--------- Entretanto o Matthew Oldfield foi verificar as suas crianças e as do Gerald McCann e Kate Healy. Segundo ele disse, viu os gémeos mas não viu a Madeleine Beth McCann, provavelmente porque não entrou no quarto. Como não ouviu qualquer barulho partiu do pressuposto que estava tudo bem, regressando ao restaurante. O Matthew Oldfield informou a ora depoente que o Russell O'Brien tinha ficado no quarto.

--------- Após ter comido rapidamente o prato principal, a ora inquirida foi para o apartamento substituir o seu mando para que este pusesse acabar a sua refeição. O seu marido regressou ao restaurante. Algum tempo depois, não sabe precisar quanto, olhou pela janela da sala para a zona do restaurante, verificando, com estranheza, que não estava ninguém sentado à mesa, sendo que era ainda muito cedo para já terem, todos terminado a refeição. Ouviu depois as vozes da Kate Healy, e a Fiona Payne que se encontravam no corredor em frente ás janelas dos quartos e que chamavam,
desesperadamente pela MADELEINE. Quando a viu, foi a própria Kate Healy quem disse à depoente que a MADELEINE havia desaparecido, não esclarecendo em que circunstâncias, continuando as buscas. A depoente manteve-se no seu apartamento, porque a sua filha E*** O'Brien estava a dormir e a mais pequena, E*** O'Brien, continuava acordada e queixosa.

--------- Por lhe ser perguntado, refere que não foi ao apartamento dos McCann, pelo que não sabe indicar qual o estado do quarto e os pormenores do que aconteceu naquela noite. Actualmente, já ouviu muitas versões ou hipóteses do que pode ter acontecido, mas, pela sua parte, apenas pode
afirmar que o homem que viu com a criança ao colo, está, na sua convicção, relacionado com o desaparecimento da Madeleine Beth McCann.

--------- Foi então confrontada com o facto de, quando o seu marido Russell O'Brien e o Matthew Oldfield foram verificar as respectivas crianças, a janela já deveria estar aberta e a Madeleine, provavelmente já não se encontrava na sua cama. Esclarece que não pode responder por eles, mas pensa que o Matthew Oldfield não tenha entrado no quarto das crianças McCann, limitando-se a constatar que não existia qualquer ruído de choro e que os gémeos se encontravam nas suas camas. Perguntada se ele não poderia ter verificado os barulhos na janela do quarto, como por vezes faziam, a depoente esclarece que o Matthew Oldfield havia garantido aos pais que iria verificar o estado das crianças no interior da casa. Ou seja, para isso ele subiu o passeio até a entrada principal dos apartamentos, entrou na casa e voltou a sair, desceu novamente o passeio até ao acesso das traseiras da casa dos McCann, subiu as escadas e acedeu à sala através da porta de vidro (que não estava trancada). De qualquer forma, um melhor esclarecimento destes pormenores só poderá ser indicado pelo próprio Matthew Oldfield.

--------- Confrontada com a informação de que as equipas cinotécnicas seguiram/farejaram pistas em que supostamente a Madeleine Beth McCann não passou pelo cruzamento onde indicou que um homem levava uma criança ao colo, afirmou, peremptoriamente, que não estava a mentir, mantendo na integra a sua versão inicial. Que, realmente, passou à sua frente, um homem transportando, ao colo, uma criança descalça. Na altura, não deu a devida atenção porque é normal, no Ocean Club, as crianças passarem ao colo dos pais entre a creche a as respectivas casas, quando estes as vão buscar ao serviço de babby-sitting. Apenas estranhou o facto da criança não levar qualquer cobertura (manta) e a forma como o indivíduo caminhava, de forma apressada, e como vestia, as calças eram ligeiramente largas em toda a sua extensão, sendo direitas. As mesmas eram, quanto a cor, idênticas a "corticite", tipo "chino" (sic.). Quanto ao casaco era de cor escura, não conseguindo especificar a mesma, parecendo ser do mesmo material das calças, sendo um tipo "anorak" (sic.). Quanto ao calçado refere que não pode confirmar com toda a certeza, mas sapatos com um ligeiro ''tacão”.

--------- Sobre a descrição da criança, confirmou que a mesma foi transportada ao colo, com as pernas na sua direcção e descalça. Pensou que fosse uma criança do sexo feminino porque o pijama era de cor clara (parecendo-lhe rosa). Nunca viu o cabelo da criança. Nunca a viu mexer nem fazer qualquer som, pensando que estava a dormir.

--------- Posteriormente, não teve dúvidas que seria a Madeleine Beth McCann porque, através da conversa que manteve com Fiona Payne, na qual ela lhe descreveu o pijama que a Madeleine McCann usava naquela noite, a qual coincide com aquilo que viu. Questionada porque não comentou com a Kate Healy o que havia visto naquela noite, ou seja, que tinha visto um indivíduo do sexo masculino que transportava uma criança com um pijama cor-de-rosa, refere que evitou sempre fazer esse comentário com o casal McCann, para não os torturar mais no seu sofrimento.

-------- Jurou, "por tudo o mais sagrado" (sic.),que o que contou é verdade, ou seja, viu um indivíduo com uma criança ao colo. Confrontada, demonstrou a distância a que se encontrava do local onde passou o homem com a criança, que se afere como uma distância de cerca de 5 metros.

--------- Aceita que, naquele momento, embora o facto lhe tenha chamado a atenção, não deu muita importância pelas razões já explicadas.

--------- Quanto a mais e melhores informações que possam ajudar a presente investigação disse recordar-se numa noite (acha que foi na terça-feira, dia 1 de Maio), estiveram dois casais, supostamente de nacionalidade inglesa, que jantaram no Restaurante "O Tapas”. Após o mesmo saíram, desconhecendo se participaram no Jogo "Quiz" que a agência "Markwarner" promoveu durante a refeição. Esse jogo consistia numa funcionária da referida agência a fazer perguntas sobre filmes, nomeadamente citações com a finalidade de identificar o(s) referido(s) filme(s). No final as mesas entregaram o questionário, que deu origem a um resultado. O prémio foi um jarro de sangria, curiosamente ganho pela mesa da ora inquirida. Recorda-se apenas da senhora da agência ter comentado sobre os referidos casais, que abandonaram o jogo antes do resultado final ser conhecido.

-------- Nunca viu esses casais nem antes nem depois desse dia. Desconhece se eram clientes da "Markwarner".

--------- Instada a esclarecer qual dos elementos do grupo marcou a primeira refeição (jantar) no restaurante O TAPAS, respondeu que desconhecia. Esclarece que, nessa manhã, jogou ténis com a Kate, ficando de se dirigirem, findo o jogo, ao restaurante para procederem à marcação. Recorda-se que, quando lá chegaram, a marcação já estava feita, não se tendo, contudo, questionado sobre quem o tinha feito. Perguntada se teria sido o seu companheiro Russel O'Brien a marcar essa refeição, por sua própria iniciativa, refere que o poderá ter feito por indicação de qualquer outra pessoa, mas considera uma atitude demasiado organizada para feitio habitual do seu companheiro.

Não conheceu nem nunca jantou à mesa com o resto do grupo, nestas férias, com qualquer família/pessoa de apelido "Irwin”.

--------- Para além da Rachael Manpilly, conforme já foi anteriormente referido, só no primeiro dia (Sábado a noite) é que houve um elemento do grupo, Matthew Oldfield, a sentir-se mal disposto, não tendo jantado no Domingo. Na Segunda-feira já se encontrava restabelecido.

--------- Neste momento foi solicitado uma colheita, efectuada através de uma zaragatoa bucal realizada pelo Especialista-Adjunto Pedro Vilhena, funcionário desta Polícia, à ora inquirida. A mesma, de livre e espontânea vontade, acedeu ao pedido tendo assinado a respectiva declaração de
consentimento, após a respectiva leitura e tradução, efectuada pela intérprete que também assinou. Junta-se o original ao presente Auto.

--------- Ainda sobre os procedimentos de segurança em relação as crianças, perguntada, a depoente esclarece que o casal Payne eram os únicos que não se deslocavam ao apartamento porque tinham, na mesa, um aparelho intercomunicador de boa qualidade e potência, que lhes permitia ouvir
qualquer ruído que os filhos causassem. Acrescenta que, segundo se recorda, foi a primeira vez que os Payne utilizaram este aparelho em férias, mas é um procedimento habitual na sua casa, que a depoente já constatou por si própria.

--------- Neste acto foram lidas as suas primeiras declarações a esta Polícia, tendo mantido na íntegra todas as informações prestadas e que constam das mesmas.

--------- Questionada, reafirma que não tem qualquer suspeito a apresentar - para além do tal indivíduo que já referenciou como levando uma criança ao colo - não se recorda de qualquer pormenor ou situação que possa estar relacionado com o desaparecimento da pequena MADELEINE BETH MCCANN.

--------- Perguntada, refere que não se recorda de qualquer incidente ou discussão entre qualquer um dos casais, ou qualquer um dos elementos de grupo entre si, nem mesmo entre qualquer um dos membros do grupo com terceiros. Até ao malogrado desaparecimento da Madeleine McCann, as férias estavam a decorrer de forma serena e divertida, como quaisquer outras férias de grupo de amigos.

--------- Instada a dizer a verdade, afirma que o que acabou de declarar é a verdade dos factos, tal como deles tem conhecimento.

E mais não disse. Lido o auto o achou conforme, ratifica e vai assinar.

Para constar se lavrou o presente auto que vai ser assinado, pelos Inspectores e pela tradutora.




Jane Michelle Tanner Statement English Translation here


No comments:

Post a Comment