29 October 2009

Testemunho Rachael Mampilly – 11 Maio 2007


PROCESSO 201/07.0GALGS - páginas 943 a 947, Volume IV
AUTO DE INQUIRIÇÃO DE TESTEMUNHA


Data da diligência: 2007/05/11 Hora: 11H30 Local: DIC Portimão

Funcionário que executa: J*** C***** e R** G********, ambos Inspectores

Nome: RACHEL MARIAMMA JEAN MAMPILLY (devidamente identificado nos autos)

Informado sobre as relações familiares ou equiparadas com o arguido enunciadas no artº 134, nº1 do C.P.P., e da faculdade que lhe pode, por isso, assistir, disse que não se verifica nenhuma dessas relações.
Passa a prestar depoimento.

À matéria dos autos disse:

----- que vem aos autos na qualidade de testemunha. Sendo de nacionalidade britânica desconhece a língua Portuguesa na sua forma oral e escrita, encontrando-se assim presente o intérprete N*** J*** C*** d* M******** M**** B******, contactável através do telemóvel 9********.

----- Que confirma na integra as declarações que prestou neste Departamento Policial no pretérito dia 04/05/2007, encontrando-se disponível para prestar quaisquer esclarecimentos adicionais.

----- Ficou alojada no apartamento "5B", o qual se situa imediatamente ao lado do apartamento da família MCCANN. Que, no dia 03/05/2007, Quinta-feira, se levantou entre as 06H30 e as 07H00, juntamente com o seu marido MATHEW e a sua filha G****, de 19 meses de idade.

----- Pelas 07H50, dirigiram-se para o restaurante "MILLENIUM", a pé, onde terão chegado pelas 08H00, a fim de tomar o pequeno almoço. Refere que terão sido os primeiros elementos do grupo a chegar, sendo que, posteriormente, chegaram o DAVID e a FIONA, e os dois filhos, o RUSSEL com seus filhos. A JANE não veio porque nessa manhã não se sentia bem. Fizeram o trajecto normal, sozinhos, tendo saído do apartamento pela porta principal, que fechou com a chave, contornado à direita, logo após, à esquerda, acedendo à estrada principal e que dá acesso ao referido restaurante. Tomaram o pequeno almoço todos juntos na mesma mesa, inclusive as crianças.

----- Terminado o pequeno almoço, pelas 09H00, a depoente foi levar a sua filha a "creche" junto ao "TAPAS", enquanto o seu marido MATHEW, foi com o RUSSEL levar a filha E*** à "creche" junto da recepção principal. A depoente diz ter regressado ao seu apartamento, tendo efectuado algumas limpezas e trocado de roupa, uma vez que tinha marcada uma aula de ténis para as 11H00. Pelas 09H45, saiu do apartamento e deslocou-se para a zona da piscina, onde esteve a ler um livro e a falar com a KATE, até cerca das 11H10, altura em que se deslocou para junto dos courts de ténis, uma vez que aula se atrasou ligeiramente. Neste momento, chegou o seu marido MATHEW que também esteve a jogar ténis, até cerca das 12H10.

----- Terminada a aula, pegaram na filha e foram para o apartamento do DAVID PAYNE e da FIONA, onde almoçaram todos juntos. Pelas 13H45, regressaram os três ao seu apartamento, onde deitaram a sua filha, que dormiu cerca de duas horas. A depoente foi jogar ténis com a JANE até às 15H00, enquanto o seu marido MATHEW foi para a varanda do RUSSEL conversar, ou vice-versa, não sabe precisar, sendo que este apartamento fica ao lado do seu, existindo apenas um outro apartamento entre os dois.

----- Após o jogo de ténis, a depoente regressou a casa para descansar, tendo o seu marido e o RUSSEL ido para a praia da Luz velejar. Cerca das 15H45, a sua filha acordou, levando-a para a praia da Luz, na companhia da DIANE, JANE, FIONA e dos seus respectivos filhos, onde se encontraram com o MATHEW, RUSSEL e o DAVTD. Pelas 17H30, as crianças jantaram num
dos restaurantes junto à praia, não tendo detectado qualquer situação estranha ou anormal.

----- Pelas 18H30, as mulheres e as crianças regressaram da praia em direcção ao "OCEAN CLUB", com o intuito verem os maridos a jogarem ténis, os quais regressaram da praia, cerca de cinco minutos antes. Ainda antes de irem para o apartamento, esteve com as crianças na zona de recreio, junto ao "TAPAS", até cerca das 19H00.

----- De seguida, foi para o apartamento, onde deu banho à sua filha, tendo o MATHEW chegado pelas 19H15. Fizeram a higiene e puseram a sua filha na cama pelas 19H45. A depoente e o seu marido tomaram banho, vestiram-se e foram para o restaurante "TAPAS" por volta 20H40. Saíram pela porta principal, a qual fecharam à chave, tendo chegado ao "TAPAS" cerca de dois minutos depois. Salienta que a porta das traseiras, ficou fechada e devidamente trancada.

----- Quando chegou ao restaurante, já ali se encontrava a KATE, o GERALD e a JANE, os quais estavam a falar com um outro casal que não fazia parte do grupo. O RUSSEL ainda não tinha chegado, porque estaria a adormecer a sua filha, segundo foi informada pela JANE.

----- A depoente refere que se sentou mais ou menos de frente para as traseiras do apartamento e o MATHEW, na lateral da mesa, à sua esquerda. Não sabe se, daquela posição, conseguia ver a porta das traseiras do apartamento onde se encontrava a MADELEINE, sendo que, em caso afirmativo, apenas conseguia ver o topo superior.

----- De seguida, chegou o RUSSEL e, passados 10 minutos, quando seriam cerca de 20H55, chegou a família PAYNE, DAVID, FIONA e DIANE. Cerca de um minuto antes da família PAYNE chegar, o seu marido MATHEW levantou-se da mesa e disse que ia procurá-los, aproveitando para "escutar" as crianças. Refere que, segundo o que estes lhe transmitiram, ter-se-ão cruzado com o MATHEW durante o trajecto. Decorridos cerca de 4 minutos, o MATHEW regressou à mesa, altura em que encomendaram a comida, tendo referido que havia "escutado" a sua filha e as crianças RUSSEL e MCCANN, pela frente do lado exterior, encostando a cabeça aos estores das janelas do respectivos quartos e que estava tudo calmo com as crianças. Ambos comeram peixe e salada, tendo a depoente bebido vinho branco e o MATHEW, vinho tinto, pensa que, até este momento, um copo cada um.

----- Pelas 21H05, o GERALD foi ver os seus filhos e, cerca de 10 minutos depois saiu a JANE, sem que o primeiro ainda tivesse regressando. Alguns minutos depois da JANE sair, chegou o GERALD, que disse que tinha estado a falar com o "JEZ" sobre ténis, não se recordando se disse alguma coisa relativamente às crianças. Durante este tempo, afirma que mais ninguém saiu da mesa. Dois ou três minutos depois da chegada do GERALD, chegou a JANE, não se recordando igualmente se a mesma fez algum comentário sobre os seus filhos.

----- Pelas 21H20 começaram a jantar, sendo que, pelas 21H30, o seu marido MATHEW, disse que ia ver a sua filha GRACE. A depoente ofereceu-se para ir em seu lugar, mas este não aceitou. O RUSSEL ter-se-á igualmente levantado, dizendo que também ia ver os seus filhos. Quando já os dois se tinham levantado da mesa, a KATE referiu o mesmo, ou seja, que também ia ver os seus filhos. Nesse momento, presume, não pode assegurar, se o seu marido MATHEW ou o RUSSEL se voluntariaram para ir ver os filhos da KATE, tendo-lhe esta referido que poderia entrar pela porta das traseiras, a qual estava destrancada. O RUSSEL e o MATHEW saíram ao mesmo tempo. Cerca de cinco minutos depois, o MATHEW regressou, dizendo que as crianças estavam todas bem, e que o RUSSEL ficou no quarto, uma vez que uma das suas filhas estava a chorar.

-----Pelas 21H40/21H45, quando se encontravam a jantar, a JANE disse que ia substituir o RUSSEL para que este pudesse jantar, uma vez que esta já o tinha feito. Cerca de cinco minutos depois, o RUSSEL regressou à mesa, dizendo que a sua filha E*** estava doente, tendo vomitado, começando a jantar de seguida.

----- Cerca das 21H55/22H00, a KATE levantou-se da mesa e dirigiu-se sozinha ao seu apartamento, a fim de ver os seus filhos. Cinco a dez minutos depois, regressou a mesa, a chorar, visivelmente abalada, dizendo que a MADELEINE tinha desaparecido. De imediato, todos os elementos do grupo, a excepção da DIANE, se levantaram, dirigindo-se para junto dos apartamentos, tendo a depoente ido verificar se a sua filha se encontrava bem. Logo após, os homens do grupo começaram a fazer uma busca à volta dos apartamentos, numa tentativa de encontrar a criança, momento em que a KATE disse que a janela e o estores do quarto da MADELEINE estavam abertos e, como tal, ela tinha sido levada por alguém.

----- A depoente refere que não chegou a entrar no quarto da MADELEINE, pensando igualmente que o seu marido MATHEW também não o tenha feito. Em seguida, estenderam as buscas até zonas mais distantes, tendo o seu marido se dirigido à recepção principal para ver se aí se encontrava a MADELEINE, já que aí existe uma "creche", sendo também nesse local que ele contactou as autoridades policiais locais.

----- Continuaram as buscas com a ajuda de mais pessoas, que em nada resultaram. Refere ainda que, cerca de 10 minutos depois da KATE dar o alarme do desaparecimento, a depoente foi ter com a JANE ao apartamento desta. Ao conversarem, a JANE disse-lhe que, quando veio ver os seus filhos e se cruzou com o GERALD a falar com o "JEZ", viu um homem com uma criança ao colo, suportada nos braços, que não seria um bebé e que poderia ter mais ou menos a idade da MADELEINE. Disse ainda que, quando viu o homem, lhe pareceu estranho, porque ele estava a andar muito depressa e a criança teria um pijama vestido, sem qualquer outra peça de roupa. Que ao questioná-la, a JANE terá dito à depoente que, na altura não comentou nada, porque ainda não se sabia do desaparecimento da MADELEINE e ela não tinha visto a cara da criança. Perguntado, refere que, numa primeira fase a JANE se centrou mais na descrição do homem e, só alguns dias mais tarde, é que terá feito referência à roupa que a criança teria vestida, que seria um pijama, não se recordando se chegou a fazer uma descrição exaustiva do vestuário, nomeadamente, ao nível da cor ou desenhos.

----- Perguntado, refere que, na quinta-feira, dia 03/05/2007, não estava ninguém sentado na mesa, estranho ao grupo, sendo que não conhece qualquer pessoa com o nome "IRWIN".

----- Acrescenta que foi o DAVID PAYNE que organizou esta viagem, sendo que o apartamento onde se encontra já lhe estava destinado, no momento em que efectuou o ckek in, não lhes tendo sido dada qualquer possibilidade de escolha.

----- Refere não possuir qualquer tipo de suspeita, relativamente aos factos em investigação, salientando que, no período de férias que antecedeu o dia do desaparecimento, não detectou nada de anormal ou estranho.

----- No que concerne à vigilância de meia em meia hora feita às crianças, surgiu por inspiração do sistema que a "MARK WARNERS" possui e que se designa por "baby listening", tendo já usufruído desse serviço, durante o ano 2006, quando gozaram férias num resort na Grécia.

----- Perguntada, disse que nenhum elemento do grupo alugou, ou se fez transportar num veículo, pelo que as deslocação eram sempre feitas a pé, somente andaram de autocarro no dia da chegada, no trajecto entre o Aeroporto de Faro e o ''OCEAN CLUB".

----- Que travou conhecimento com a família MCCANN, no casamento do DAVID e da FIONA, em Itália, no ano de 2003, sendo que nessa altura a MADELEINE já tinha 4 meses de idade. Não lhes conhece quaisquer inimigos.

----- Não tem conhecimento, para além do seu grupo, de outras pessoas amigas da família da MADELEINE, que possam ter estado em Portugal, durante o período em que ocorreram os factos.

----- Que, nas fotografias que tirou durante o presente período de férias, apenas se encontram registados os vários elementos do grupo. Perguntada, refere que, durante o período de férias foi almoçar ao apartamento do DAVID e FIONA, sendo que a MADELEINE em momento algum entrou no apartamento da depoente.

----- Perguntada, disse que, no dia em que chegaram, o seu marido MATHEW sentiu-se doente, com diarreia e com vómitos, situação que se prolongou até Domingo de manhã. Acrescenta que, na Quarta-feira, de madrugada, também ela própria se sentiu doente com os mesmos sintomas.

E mais não disse. Lido o auto o achou conforme, ratifica e vai assinar.

Para constar se lavrou o presente auto que vai ser assinado.



Rachael Mariamma Jean Mampilly Statement English Translation here


No comments:

Post a Comment