10 January 2010

Casal McCann pede destruição total de livros

Pais de Maddie regressam a Portugal para processo contra Gonçalo Amaral


Casal McCann regressa esta semana a Portugal

por Nuno Miguel Maia

O casal McCann pede à Justiça portuguesa para ordenar a destruição de todos os exemplares do livro e do filme nascidos da lavra de Gonçalo Amaral, o ex-coordenador da PJ que defende a tese da morte de Madeleine. Os pais regressam esta semana a Portugal.

Kate e Gerry McCann estarão presentes depois de amanhã no início do julgamento da providência cautelar de proibição de venda de "Maddie - A Verdade da Mentira", nas Varas Cíveis de Lisboa.

Em causa está a oposição de Gonçalo Amaral e da editora à continuidade da ordem de retirada, do mercado, da publicação e documentário que defendem a tese da morte da menina inglesa e envolvimento dos pais na ocultação do respectivo cadáver.

Está providência cautelar está associada a um processo principal em que o casal McCann faz vários pedidos. Os principais passam pela destruição total dos exemplares do livro e do DVD documentário que ainda restarem em armazéns, bem como proibição de cedência de direitos de autor ou divulgação para outros países ou na Internet.

Se ganharem a acção, os pais da menor desaparecida a 3 de Maio de 2007 na Praia da Luz, Lagos, pedem ainda a publicação da decisão final em jornais nacionais, em dois dias consecutivos, como forma de, ainda que parcialmente, reconstituir a sua imagem.

A par da proibição de divulgar a tese da morte da menina, o casal solicita que Gonçalo Amaral e os demais réus no processo sejam condenados a pagar 100 mil euros por cada eventual acto de não acatamento da decisão judicial.

1,2 milhões de euros

Num outro processo à parte, a Gonçalo Amaral é exigida uma indemnização de 1,2 milhões de euros. Foi ao abrigo desta acção que foi ordenado o arresto de todos os bens do ex-coordenador da PJ.

Testemunhas arroladas por Gonçalo Amaral são colegas da PJ que participaram na investigação, incluindo Luís Neves, director nacional de combate ao banditismo.

O próprio procurador do Ministério Público que arquivou o processo, Magalhães Meneses, foi arrolado como testemunha. Este magistrado, a par do procurador-geral adjunto Melchior Gomes - lamentou a recusa, por parte dos ingleses, em participar numa reconstituição dos factos. Assim, os McCann não conseguiram "comprovar a sua inocência".


in Jornal de Notícias

English Translation here: McCann couple demands books to be fully destroyed



5 comments:

  1. destruição de livros (pelo fogo?), arresto de bens (para criar asfixia económica?), 100 mil euros por cada vez que desobedecer (se desobedecer 10 vezes, paga 1 milhão de euros?), etc. vergonha de país.

    ReplyDelete
  2. repito aqui o que disse anteriomente em inglês:

    Pedir ao Dr.Cabrita para exigir reconstituição da noite de 3 de maio, pelo Tapas 9, antes de o juiz dar a sentença.

    ReplyDelete
  3. gazeta e a diferença da PACT

    ReplyDelete
  4. They wont destroy our THOUGHTS
    They wont BURN our THOUGHTS
    We are still free to THINK
    This is absolute FREEDOM
    They cant take it away from us.
    Never =))

    ReplyDelete
  5. JOANA VEJA O BLOG "AUGUSTO-CANEDO.BLOGSPOT.COM" QUE TEM UM POST CHAMADO MORDAÇA INGLESA, SIM SENHOR!

    A MEU VER É EXCELENTE

    E PARABENS PELO SEU TRABALHO

    ReplyDelete