6 March 2010

Miguel Sousa Tavares: “Que se lixem”


"Os cidadãos anónimos que se lixem. Faço jornalismo há mais de 30 anos e não é anónimo. Era só o que faltava, que os cidadãos viessem agora controlar a forma como os jornalistas fazem jornalismo." É assim que Miguel Sousa Tavares reage às três queixas de cidadãos comuns que entraram no regulador dos media, sobre a entrevista a Gonçalo Amaral, a 1 de Março, no programa ‘Sinais de Fogo’ (SIC).

O ex-inspector da PJ garantiu ao CM: "Nenhuma das queixas é minha, mas sei que naquela noite o site da SIC encheu-se de comentários sobre a forma como ele conduziu a entrevista". E acrescenta: "Miguel Sousa Sousa Tavares esteve ao seu nível. Ele é um fazedor de opiniões e deu as suas. É pena que tenha chamado alguém para uma entrevista. Mas eu de jornalismo não percebo nada."

Comparando o estilo como foi orientada a sua entrevista com a do primeiro-ministro, Gonçalo Amaral é peremptório: "Toda a gente sabe que eles [José Sócrates e Sousa Tavares] são amigos. Portanto é normal. Ele não pode atacar um amigo. Mas ele não me atacou, o que fez foi dar a sua opinião."

Além das queixas que entraram no regulador, são muitas as críticas na blogosfera que apontam o modo discriminatório do entrevistador.

Sousa Tavares disse ao CM: "Podemos ser acusados por delitos de abuso de liberdade de imprensa, só faltava que a maneira de fazer jornalismo fosse alvo de queixas de cidadãos anónimos. Eu também me queixo: são cobardes".

in Correio da Manhã

Para fazer uma queixa na ERC - Entidade Reguladora para a Comunicação Social, utilize o formulário de participações on-line disponível no site.

«Preencha o formulário com o seu nome, morada, e-mail e idade, bem como a sumária descrição dos factos relativos à participação (máximo de 200 palavras). Os campos do formulário assinalados com [*] são de preenchimento obrigatório e os restantes facultativos. Deve elaborar a sua participação com o máximo de clareza e objectividade.

Só serão admitidas participações por via electrónica se preenchidas neste formulário, o qual também pode ser impresso e enviado por fax (210 107 019) ou pelo correio para a morada da ERC (Av. 24 de Julho n.º 58 1200-869 LISBOA).»


36 comments:

  1. "que os cidadãos viessem agora controlar a forma como os jornalistas fazem jornalismo"

    Pois e Miguel, e exactamente esse o seu grave problema. Esta entrevista nao foi jornalismo.

    E o Miguel e bem pago para fazer jornalismo, nao e?
    Nao para convidar entrevistados e nao os deixar responder as perguntas que faz! Muito menos para trazer assuntos e depois dizer que nao sao relevantes.

    Portanto farei a minha queixa a ERC. E nao se preocupe, nao vai ser anonima.

    ReplyDelete
  2. Miguel Sousa Tavares must be a terrible colleague to work with, I wonder how long he's going to last working for SIC.

    The man is arrogant, unprofessional and bias and comes across as being violent.

    ReplyDelete
  3. Journalist? This arrogant creep does not even have the "carteira profissional"! He somehow believes that he has been ordained to speak on behalf of the population of Portugal for which he only feels contempt. BTW, what makes his opinion on anything more valid than mine or the taxi driver or any other person.

    In reality he must be very, very upset because he must have thought, in his narcissistic mind, that he was going to turn public opinion around in favour of the McCanns. Instead the result was the opposite. MST is a despicable person. Real intelligence is recognising intelligence in others and that you can learn from others. With this in mind MST must be extremely stupid.

    ReplyDelete
  4. Well, that he is a very unpleasant and aggressive man was more or less common knowledge.

    He probably didn't even see the need to do any homework on the case.
    Another pseudo-intellectual pseudo-cultural pseudo-journalist down the drain I guess.

    However I am still surprised that he is SO stupid.

    ReplyDelete
  5. He looks what he is, ugly, in my opinion.

    ReplyDelete
  6. Qual é o sentido de fazer uma queixa anónima ? Acaba por dar razão ao
    MST. Pena. Embora achei a tal entrevista de pobre qualidade (e mandei uma mensagem com o meu nome, detesto ler aqui mais insultas. Não chegam os tabloïds ?

    ReplyDelete
  7. aacg, acho que não estás a entender, quando se faz uma queixa na ERC ela é assinada com os dados todos, como podes ver pela citação dos passos necessário para efectuar uma participação que retirei do site da ERC; quando se diz cidadão anónimo não quer dizer que o cidadão tenha feito uma queixa anonimamente, nem isso seria possível, mas sim que não é um cidadão conhecido por exemplo do mundo da politica, ou algo semelhante, entendes?

    ReplyDelete
  8. :)] Para o Salsa #1

    Concordo em absoluto. Aquilo não foi jornalismo, nem sequer uma coluna de opinião do "Diário do Mercado" (rua).

    Claro que a voz do publico e anónima. O voto e anónimo. Depois e assim: os honorários das Isabeis Duartes são elevadíssimos. Não da para quem como nos, anda para aqui a fazer de palhaço dos McCons, rebaixado por políticos servis e meninas juízas sem juízo.

    :-t O "Besteiras" que não se preocupe. O meu bota-abaixo já seguiu para a ERC.

    8-} Penso. Logo sou.

    A. Noh Nimeu

    ReplyDelete
  9. :)] Reflectindo no que a Joana acaba de escrever (7). Penso que as criticas enviadas para a ERC estão ao abrigo da imunidade judicial. Ou seja o Miguel Sousa Tavares não pode pedir a uma "Isabel Duarte" que nos processe por isso.

    Agora o facto dele se referir ao publico como "anónimos" só porque não se revestem da celebridade bacoca com que se investe, nem sequer me atinge. O anonimato e uma coisa muito bonita. Deus e anónimo mas mesmo assim omnisciente, omnipresente e omnipotente. O "Fala Barato" quando cuspir que engula. b-(

    A. Noh Nimeu

    ReplyDelete
  10. It says alot for Amaral's belief in the correctness of his thesis to have done this interview with a journalist who demonstrates just as much research sloppiness as he does hostility and antagonism. Amaral is not just remaining among friendly supporters but willing to defend himself and answer questions from critics.

    The inverse of this is the McCann's who repeatedly shy away from questions that veer off in directions that they don't like or depart from the previously submitted questions that they consider acceptable to be asked.

    Regards,

    Karmaera

    ReplyDelete
  11. Joana, desde quando se qualifica de "anónima" uma queixa sem nome ? Não quer "anónimo" dizer sem nome mesmo ? Penso que se as três queixas chegaram com dados certos (e não inventados, como é possível), então o MST comprometeu-se muito mais agora que no decurso de um programa que era bastante medíocre mas que, nisso, é semelhante a muitos, muitos outros.
    Portanto vais me sugerir de fazer uma queixa com o meu nome verdadeiro etc. e ver o que se passa. Pois, tu sabes que não tenho nenhum medo, o que me falta é uma razão fundada para esta queixa. O GA não foi propriamente dito insultado e o MST se julgou a ele próprio muito mais do que julgou o GA, como centenas de comentários o mostram...
    Portanto se me deres (em privado) um argumento a fazer valer no ERC não hesito um minuto a fazer a queixa.

    ReplyDelete
  12. A minha primeira sentença é o contrario de o que queria dizer, penso que toda a gente percebeu : desde quando "anónimo" não significa "sem indicação de nome". Ou com nome de substituição, não podendo se identificar o autor.

    ReplyDelete
  13. aacg, essa pergunta não é a mim que a deves fazer, mas sim a quem chama os cidadãos anónimos e telespectadores que se queixaram à ERC e à SIC de covardes. Quanto à participação na ERC isso é deixado ao critério de cada um - para mim, pessoalmente, o que se passou no Sinais de Fogo do dia um de Março foi inqualificável e ultrapassou os limites do que é considerado um jornalismo isento, regido por uma determinada ética e rigor. Aquilo que assisti foi a uma agressiva tentativa de acusar em directo, quiçá por motivos pessoais, um cidadão que se encontra já restringido da sua Liberdade de Expressão. O que MST fez a Gonçalo Amaral foi um abuso de má fé, foi de uma irresponsabilidade total já que afirmou coisas que são falsas e inexactas - a SIC por seu lado também têm responsabilidades como órgão da comunicação social, já que esta sancionou a transmissão de um programa de um jornalista que visou atacar o bom nome e a reputação de Gonçalo Amaral.

    ReplyDelete
  14. :)] to aacg #11

    Digamos que não o insultou explicitamente mas interrompendo, contradizendo e impedindo sistematicamente um entrevistado de falar não constitui uma entrevista mas sim uma tentativa de desacreditação do entrevistado.

    Um caso que pode e deve ser analisado pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social para evitar futuros abusos já que esta entrevista se revestia de grande interesse para os tele-ouvintes.

    Foi simples de ver: O MST tentou humilhar o GA. Não conseguiu mas a suas intenções foram bem explicitas. Do principio ao fim.

    Pena que você não se tenha apercebido, mas claro tem direito a sua opinião e a defender o MST. Pena que o GA não tenha tido...

    A. Noh Nimeu

    Referencias:

    Teun A. van Dijk, (ed). (1997). Discourse Studies. 2 vols. London: Sage.

    ReplyDelete
  15. :)] Eis aqui um comentario (em Ingles) acerca da PJ (Amaral indirecto?) bem ao estilo do MST:

    "Why are Portuguese investigators so pig-headed?"

    http://www.thesun.co.uk/sol/homepage/news/sun_says/244723/The-Sun-Says.html

    Claro que o MST nao o falou mas nota-se na sua comunicacao nao verbal que o tera pensado...

    ReplyDelete
  16. ;)) Para Joana ref. 13

    Muito bem expresso! Se nao se importar vou aproveitar parte do seu texto para incluir na minha participacao a ERC. Obrigado.

    ReplyDelete
  17. @16, faça o favor, e já agora obrigada. um abraço

    ReplyDelete
  18. @ A. Noh Nimeu
    Penso que não percebeu bem o que queria dizer (que se calhar exprimi mal). Não disse o que disse para defender o MST, estou totalmente nas tintas com ele. Estou sempre do lado do mais vulnerável, de resto : por exemplo se houver uma competição entre o Senegal e a França, torço para o Senegal, por principio, apesar de ser Francesa.
    Quando escreve "tentativa de desacreditação do entrevistado" é uma interpretação, não um facto. De resto quem se desacreditou, segundo a opinião publica exprimida nos comentários numerosos, parece ser sobretudo o MST.
    Se quiser se entregar à analise textual da intervenção do MST para demonstrar, rhetoricamente, que houve, por exemplo, óbvios argumentos ad hominem, faça-o porque duvido que o ERC o faça. De resto é um exercício intelectual interessante. Mas deve convir que ocorrem dezenas de situações semelhantes nos canais de TV sem reacção nenhuma (o que é, estou de acordo, pena). O caso McCann interessa-o, a mim também, mas há muita gente que marimba-se com ele. Pergunta à Joana quantas pessoas se deslocaram ao tribunal !
    Bem sei que chovia a brava. Mas todavia...

    ReplyDelete
  19. :)] Estimada aacg (18)

    A sua duvida ia endereçada a Joana Morais mas achei pertinente e meti-me. "Pardon!"

    O que eu li foi o seguinte:

    "O que me falta é uma razão fundada para esta queixa. O GA não foi propriamente dito insultado e o MST se julgou a ele próprio muito mais do que julgou o GA, como centenas de comentários o mostram...
    Portanto se me deres (em privado) um argumento a fazer valer no ERC não hesito um minuto a fazer a queixa."

    E o que eu comentei, ou sugeri, foi:

    "Digamos que não o insultou explicitamente mas interrompendo, contradizendo e impedindo sistematicamente um entrevistado de falar não constitui uma entrevista, mas sim uma tentativa de desacreditação, etc."

    A sua simpatia pelo MST parece implícita mas aceito o seu esclarecimento. De resto tinha todo o direito.

    Quanto a referência ao van Dijk (uma obsessão minha de momento) admito não ter sido ideal. A "Analise Transacional" do Eric Berne presta-se melhor ao "mise en scène" do MST.

    http://en.wikipedia.org/wiki/Transactional_analysis

    :p Quanto ao resto concordo consigo excepto no que respeita ao futebol. Não torço por uns nem por outros. Contento-me com o Ioga...

    A. Noh Nimeu

    ReplyDelete
  20. Vale a pena ir dar uma volta ao site da Sic. Ainda chegam mensagens, alguns abusivas às quais deve-se reagir. Assim fiz, pelo menos, com o meu nome.

    ReplyDelete
  21. Mas quem e este MST? UM MCCANNAO ANONIMO!

    Devia ter-se apresentado no programa com uma daquelas t-Shirts, exclusivas, feitas em Algodao de alta qualidade e so disponiveis num on-line store especial "Findmadeleine". Tinha poupado o latim e a macada de fazer perguntas e dar respostas, TUDO PREVIAMENTE PROGRAMADO POR SI PARA O SEU "EU". E ate podia ser que em pleno programa recebesse uma chamadita ou um SMS da querida Kate, a agradecer os euros dispendidos na T-Shirt, porque quanto ao resto... ESTA-SE BORRIFANDO PARA A OPINIAO DESTE MST-ANONIMO, na SIC.
    A Kate adora mandar SMS. Fez o mesmo a querida amiga ID, em pleno tribunal- foi por isso que a dada altura houve aquela dissertacao dos abutres e vampiros- ERA UM AUTO-RETRATO!!!

    Eu, COMO ANONIMA ASSUMIDA QUE SOU, VOU TORNAR BEM PALPAVEL O MEU ANONIMATO- Nunca mais compro, leio ou vejo nada que cheire a MST. Nao vou perder tempo a "lixar os meus neuronios com tanto lixo". Lixo deste e altamente promotor de Alzheimer e nos temos de apostar na prevencao. Por isso boicotemos este MST e vamos ver quem e que se lixa, se ele ou nos. Vamos ver se ele pode estar a lixar-se assim tanto para os anonimos.

    So volto a ouvi-lo quando me disserem que o pseudo-jornalista convidou a Maddie para ir ao programa e propoe-se fazer-lhe uma entrevista- THAT MEANS, NEVER.....

    O tipo nao gosta nada de anonimos, porque anonimos nao podem ser insultados nem perseguidos nas suas cronicas no Expresso. Anonimos nao tem cara, sexo, idade ou conta bancaria. Nao ha nada mais democratico que o anonimo, por isso o " anonimo" e um "tipo lixado" para um "Inquisidor".

    ReplyDelete
  22. Mas quem e este MST? Um menino de coro, bem nascido, cuja mae disse um dia que " por pouco era bonito". "POR POUCO" e realmente o que melhor o define. "Por Pouco" podia ser jornalista. " Por pouco" podia ser um bom escritor. " Por pouco" podia ser comentador, cronista, critico, GENTE.
    "Por Pouco" se usa uma CUNHA, quando se e bem nascido, para chegar a grandes lugares. O problema e que quem se habitua a viver "por pouco", faz realmente "pouco" para se manter no lugar que ocupa e depois da isto- FICA-SE COM UM UMBIGO DO TAMANHO DO MUNDO, OLHA-SE EM REDOR E SO VEMOS "NOS", ABRIMOS A BOCA E QUEREMOS IMPOR "NOS". Ficamos tolhidos pelo nosso proprio umbigo.

    ReplyDelete
  23. :)] Alo "aacg" ref. 18

    :) Um detalhe que me passou despercebido no seu argumento...

    A "tentativa de desacreditação" não foi uma interpretação como argumenta em sua defesa. Foi um facto observável por todos (ou quase).

    Não funcionou apenas porque o Gonçalo Amaral não permitiu. Mas a intenção ficou. De resto como a própria "aacg" admite.

    Eu explico melhor.

    Uma pessoa que coloca uma pergunta e depois interrompe quando a outra começa a responder, não e uma "interpretação", e um facto (observável). E se reparar bem, o MST não só colocava as perguntas, respondia a todas (ou quase), por outras palavras: tentava desacreditar o GA. Teria sido cómico se o assunto não fosse tão serio. :)

    O facto e que o GA queria responder mas o MST não deixava.

    A interpretação a que se refere terá de se limitar aqui aquilo que se disse, ou neste caso, não se disse - o que não e o mesmo de falar e/ou deixar falar.

    Será que na realidade paralela em que habita (Franca?) quando quer falar e não a deixam, você "interrompe" e a pessoa que não a deixa falar se "cala"?

    ;)) Boa noite e bons sonhos ...

    A. Noh Nimeu

    ReplyDelete
  24. "Que se lixem","são cobardes", fiquei ainda mais desiludida com esta resposta do MST. Os cidadãos anonimos é que dão audiencias aos canais, vendas aos jornais e revistas, sem eles os jornalistas estavam no desemprego. O País está de tal forma que é natural as pessoas terem medo, pois só lixam aqueles que não têm dinheiro para se defender.

    ReplyDelete
  25. Segunda-feira o MST vai ver a opinião dos "cobardes" e dos anónimos...
    Fico feliz de não ter comprado nenhum livro dele, do GA comprei todos e tenho emprestado a quem não pode comprar.

    ReplyDelete
  26. @ A. Noh Nimeu
    Por curiosidade : fez uma reclamação ?
    Quem fez, de resto, neste forum ? Estarei a única ?

    ReplyDelete
  27. A tipos como o MST, nao interessa nada ter anonimos a critica-los. Nao podem persegui-los nem processa-los.
    OH PSEUDO-JORNALISTA MST, porque sera que foi universalmente institucionalisada a " SONDAGEM ANONIMA", O "INQUERITO ANONIMO", a bem da verdade e do rigor?
    Porque so anonimamente ha 99% de franqueza e verdade. O MST ficou a saber o que pensa a maioria do publico sobre si e o caro Dr. Pinto Balsemao, ficou a saber quem deve correr da SIC e do Expresso, com urgencia, se quer ser dono de uma TV e de um jornal de grande audiencia. Nao adianta encher as paginas do seu jornal Expresso com o CHAVAO PUBLICITARIO que diz que o jornal e o que tem ganho mais premios. Dga-nos quem da esses premios e tudo estara explicado. NAO E O JORNAL MAIS LIDO E COM PSEUDO-JORNALISTAS, FICARA BEM CEDO ENCOSTADO AOS PASQUINS DOS TABLOIDES INGLESES QUE SERVEM PARA O PUBLICO SE DIVERTIR nas anedotas e jogadas la de casa, em que o pessoal se diverte no PICTIONNARY DOS SHOTS.

    ReplyDelete
  28. Texto da minha Participação à ERC, com a minha Pretenção; DECLARAÇÃO DE INTERESSES DO MST.
    "Acuso o Miguel Sousa Tavares que no seu total direito de Jornalista livre, que respeito, ser pre-conceituoso militante na sua própria opinião e desrespeitar a opinião do entrevistado. Nem sequer deixar que o o "entrevistado" responda, pois o MST faz a pergunta e ele próprio "paga" as despesas das respostas com banalidades não fundamentadas, impedindo-me de ouvir o contraditório que me esclarecesse pelo meu raciocínio a perceber onde está a verdade!
    Pretendo que o MST apresente a sua própria DECLARAÇÃO de INTERESSES para que eu estruture a razão do desrespeito SUCESSIVO da;
    1)- Dignidade de Pessoas (Porque não admito que o MST me julgue um dos que ele trata como Imbecil Ficando já aqui autorizada a entrega ao MST das minhas coordenadas, para ele não me acusar de "anónimo"!!!); 2)-Rigor Informativo (Completamente impreparado para um comentário sem ter lido as peças indispensáveis); 3)-Pluralismo (Cimentado apenas num dos lados da "barreira", sem contraditório; 4)-Sensacionalismo (Pelas afirmações evidentes e banais, fora do verdadeiro contexto da notícia); 5)- Violência ( Pela satisfação do próprio ego do MST, no seu aspecto visual e oral de um envelhecido e solitário leão a rugir para amedrontar a presa indefesa"

    ReplyDelete
  29. Só uma duvida, o MST é mesmo jornalista ou um advogado frustrado que escreve umas coisas em alguns jornais? O pai dele era realmente jornalista, mas a profissão não se herda com o nome.

    ReplyDelete
  30. Luis Silva, muito obrigada por ter publicado a sua participaçao.
    Qual "valor em causa" escolheu ?
    Vem aqui a minha :
    Valor em causa: Rigor_Informativo,
    Participação: Qual o sentido de convidar um ex-policia obrigado ao silencio ? Para falar da boa maneira de conduzir uma investigação ? Ou para expor a sua tese própria sem ser desmentido ? MST, 9', critica GA por ter desconfiado do casal MC em vez de ter ido ver a cara deles e, enquanto o GA tente explicar a importância de saber objectivamente quem são as vitimas, afirma (12') que "diligencias não foram feitas desde o inicio por causa dessa suspeita". Quais ? MST (18'40) acusa GA de "ter procurado indícios para confirmar a tese em vez de fazer o contrario" sem revelar sobre que se baseia, para logo falar do caso da Joana que "é igual". Porque ? Declara (22'30) estar "completamente de acordo com o que escreveu o Times : a policia portuguesa continua a basear o grosso das investigações na auto-incriminação dos arguidos ou através de escutas telefónicas ou de confissões". Tem uma fonte portuguesa que corrobora ? Ignora que o objectivo do estatuto de "arguido" é precisamente evitar a auto-incriminação. Segundos antes de por fim à entrevista declara "os McCs querem reabrir o processo". É uma noticia ? Até a data de hoje nem os interessados falaram disso.

    ReplyDelete
  31. :)] To aacg
    "@ A. Noh Nimeu: "Por curiosidade : fez uma reclamação?".

    8-} Em termos de Analise Transaccional a sua pergunta sugere um sentido ulterior mas compreendo: não quer que a sua interpretação passe por uma posição favorável a teoria "oficial" dos McCann. Adiciona ainda o facto de ter reclamado (enquanto sugere outros não o ter feito). Conclusão: Tudo não terá passado de um mal-entendido meu :)) Uma estratégia conhecida em A.T. (bem como em xadrez) como a "defesa Francesa"...

    A propósito, não era obrigada a fazer uma reclamação mas, ainda bem que o fez. Denota que aprendeu a diferença entre "facto" e "interpretação".

    Como não convém que a SIC fique a pensar que tudo não terá passado de uma campanha orquestrada no "blog" da Joana Morais, posso apenas adiantar que usei as clausulas da "dignidade de pessoas" e "rigor informativo" - se e que isso de "facto" lhe interessa em termos de "interpretação"...

    ;)) Posso dispersar agora?

    A. Noh Nimeu

    ReplyDelete
  32. @ A. Noh Nimeu
    "A propósito, não era obrigada a fazer uma reclamação mas, ainda bem que o fez. Denota que aprendeu a diferença entre "facto" e "interpretação"
    ??????????????????????????????????
    Não posso deixar de fazer uma participação, clausula "julgamento de valor" !

    ReplyDelete
  33. A. Noh Nimeu, eu tambem adoro a Analise Transaccional! Pergunto-me como definiria o papel do MST... :D

    Pronto, a Salsa tambem ja fez a queixa:

    Numa sociedade democratica, entrevistas e debates destinam-se exactamente a expor, discutir e esclarecer pontos de vista diferentes.

    Esta queixa destina-se a denunciar aquilo que, na minha opiniao, constituiu uma fraude jornalistica.
    Os telespectadores seguiram a entrevista para ouvir, com interesse, o entrevistado responder as perguntas de Miguel Sousa Tavares.
    Foram impedidos de o fazer porque MST, basicamente, negou a palavra a Goncalo Amaral.
    O rigor informativo e o pluralismo da pseudo-entrevista foram inexistentes, ja que perguntas foram feitas por MST e opinioes mal fundamentadas foram dadas (a laia de resposta) pelo mesmo, de forma tendenciosa e por vezes francamente maliciosa.
    MST demonstrou tambem uma falta de respeito completa pela dignidade dos telespectadores e do proprio entrevistado.
    Alem disso, tratou-se de uma entrevista que MST pretendeu ser sensacionalista em vez de uma discussao seria.

    Na minha opiniao, os pontos "Dignidade de Pessoas", "Sensacionalismo", "Rigor Informativo" e "Pluralismo" estao todos envolvidos.

    Isto e nao e um procedimento aceitavel e nao me parece que o Miguel Sousa Tavares tenha a idoneidade e profissionalismo necessarios para conduzir qualquer entrevista.

    ReplyDelete
  34. I just looked at Sinais de Fogo on sic online and you can no longer leave comments on that site. I guess MST did not like all of that criticism. I am also very happy that the football team that he supports fanatically, Porto, lost 5 to 0 against Arsenal.
    Caroline

    ReplyDelete
  35. Não sei se ouviram Henrique Ganadeiro na Comissão de Ética, onde ele disse tudo. As receitas da publicidade desceram imenso, bateram no abismo, e nunca mais vão ser as mesmas. Para onde elas foram? Para aqui. Quem está a ficar com o dinheiro da publicidade que antes --ou até há pouco tempo -- pagava os jornalistas? Para nós. Nós somos os novos criadores de produtos, e os que estão a dar mais lucros às agências publicitárias.

    ReplyDelete
  36. Já há muito tempo que queria escrever isto. Não conheço Sr. Gonçalo Amaral nem o Sr. Miguel Sousa Tavares nem tão pouco sou jornalista Vi a ..intervista...
    intervista???? ou acusação??? terrível o sr. Gonçalo Amaral nem teve direito à palavra foi constantemente bombardeado perguntei-me: que se passa com o intervistador????

    ReplyDelete