1.Everyone shall possess the right to freely express and publicise his thoughts in words, images or by any other means, as well as the right to inform others, inform himself and be informed without hindrance or discrimination 2.Exercise of the said rights shall not be hindered or limited by any type or form of censorship Constitution of the Portuguese Republic, Article 37.º

Chiarina






Press Play to Listen

Robert Schumann's "Chiarina" from Carnaval Op. 9, played by Vladimir Sofronitsky. Carnaval, Op. 9, is a work by Robert Schumann for piano solo [C minor; Passionato], written in 1834-1835, and subtitled Scènes mignonnes sur quatre notes (Little Scenes on Four Notes) - A, E-flat, C, B. Chiarina depicts Clara Wieck, Schumann's wife.


Images by © Joana Morais




7 comments:

  1. Très mignonnes, Jo. Thanks for posting.

    ReplyDelete
  2. This is beautiful.
    Repeating the same tema all the time.
    It sounds like us, asking for the truth.
    Please give her a decent grave!
    Yesterday I listened to the Mattäus Passion and I had to think of Madeleine.

    ReplyDelete
  3. Boas!
    Já ouvi o pequeno trecho,sobre o qual me abstenho de comentar,obviamente.

    Intrigam-me as duas fotos: a das andorinhas que partiram; a dos postes
    mascarrados e sujos. Por outro lado é um trecho que pertence a " Carnaval"; também dedica" his love for Ernestine von Fricken through the music."

    Carnaval;postes de electrecidade sujos; ddicado a um amor antigo;tocado pela sua Mulher(artista,pianista,compositora).

    CARNAVAL. Estou confundida com o significado de tudo isto.

    Talvez esteja a querer ver coisas ou algum significado sub entendido e não chego lá.

    ReplyDelete
  4. Olá Maria, bom dia

    as duas fotos: a de cima são pombos a sobrevoarem um canal em Paris, a de baixo umas pedras tumulares de um cemitério Inglês, sem nome. O significado é o que se quiser dar, ou o que se sentir. De qualquer forma este post é dedicado a uma amiga especial. Para mim, retrata a ditadura do tempo, portanto a morte, mas também como a música em loop, o não acabar da memória.

    um abraço, J.

    ReplyDelete
  5. * aliás são gaivotas nesta , havia uma mistura de pássaros nesse dia tempestuoso.

    ReplyDelete
  6. a ditadura do tempo(bela expressão) e
    o NÃO ACABAR DA MEMÓRIA!
    Tem a ver com uma Amiga Sua! Lamento mas,pelos vistos,jamais será esquecida.

    Quanto a mim,não vi pombos( a foto é lindissima) e ,infelizmente não me apercebi que na foto de baixo,seriam pedras tumulares sem nome.

    Joana,muito obrigada pela Sua explicação,tão pessoal.Lamento.

    ******

    Quaanto à minha interpretação foi outra.Mas,agora,com todo o respeito,não vai caber aqui.
    No fundo talvez já esteja no outro comentário que deixei.

    Obrigada,J.M.

    mcr

    ReplyDelete
  7. Joana, sem palavras.
    Obrigada, amiga.

    ReplyDelete

Powered by Blogger.